Preservando a Água na Indústria Têxtil:

Um Compromisso com o Futuro

Hoje, mais do que nunca, é crucial refletirmos sobre a importância da água em nossas vidas e como podemos contribuir para sua preservação. Como engenheira têxtil, tenho o privilégio de compartilhar com vocês algumas reflexões sobre os impactos da indústria têxtil no uso da água e como podemos fazer a diferença juntos.

 

 

O Impacto do Algodão na Indústria Têxtil

 

A produção de roupas, desde as fibras, como o plantio do algodão, tingimento, beneficiamentos, e se ainda considerarmos até a conservação do produto final, consome uma quantidade significativa de água.

Por exemplo, no cultivo do algodão, que é uma das fibras mais utilizadas na indústria têxtil para vestuário, demanda enormes quantidades desse recurso natural. Além disso, o processo de tingimento das fibras e beneficiamento dos materiais também contribui para o desperdício de água, muitas vezes resultando em poluição dos corpos d'água locais.

No entanto, é essencial reconhecer e apoiar iniciativas que buscam mitigar esses impactos. É por isso que estou entusiasmada em compartilhar com vocês o compromisso da marca Timirim de roupas infantis em promover práticas sustentáveis em toda a cadeia de produção.

A Timirim utiliza em toda a sua produção, o algodão orgânico certificado pelo padrão GOTS (Global Organic Textile Standard), garantindo que seja cultivado de forma ambientalmente responsável e socialmente justa.

O cultivo de algodão convencional e orgânico difere significativamente em relação a alguns pontos, e também principalmente em relação ao consumo de água.

No cultivo convencional de algodão, o algodão é frequentemente cultivado com o uso intensivo de pesticidas e fertilizantes químicos. Esses produtos químicos podem contaminar os solos e corpos d'água, prejudicando a qualidade da água e causando danos ao meio ambiente.

Além disso, o cultivo convencional geralmente envolve práticas de irrigação intensivas, comumente utilizando sistemas de irrigação por inundação ou aspersão.

 

 

Já no cultivo de algodão orgânico, o algodão é cultivado sem o uso de pesticidas ou fertilizantes sintéticos, e utilizando práticas agrícolas sustentáveis. Essas práticas incluem rotação de culturas, compostagem, uso de fertilizantes naturais e controle de pragas biológico.

Devido à abordagem mais holística e sustentável, o cultivo de algodão orgânico tende a preservar melhor a qualidade do solo e a saúde dos ecossistemas locais.

Embora o algodão orgânico ainda possa exigir irrigação, as práticas de conservação de água, como a utilização de sistemas de gotejamento e técnicas de captação de água da chuva, são mais comuns nesse tipo de cultivo.

As estimativas do consumo de água de cada tipo de cultivo variam dependendo de vários fatores, como as condições climáticas locais, as práticas agrícolas específicas e os métodos de irrigação utilizados. No entanto, em geral, o cultivo de algodão convencional tende a consumir mais água do que o cultivo de algodão orgânico devido às diferenças nas práticas agrícolas.

Estudos sugerem que a produção de 1 kg de algodão convencional pode consumir em média de 10.000 a 20.000 litros de água, dependendo das condições de cultivo e das práticas de irrigação utilizadas.
Por outro lado, o cultivo de algodão orgânico geralmente consome menos água, embora as estimativas específicas possam variar. Em média, o algodão orgânico pode consumir de 5.000 a 10.000 litros de água por 1 kg de algodão produzido.

É importante ressaltar que esses números são aproximados e podem variar dependendo de uma série de fatores. No entanto, a diferença geral no consumo de água entre o cultivo convencional e o orgânico é atribuída principalmente às práticas agrícolas mais sustentáveis adotadas no cultivo orgânico, que visam conservar a água e promover a saúde do solo e dos ecossistemas locais.

 

Estamparia Digital: Uma Tecnologia Sustentável

 

Além do uso de matérias primas que prezam pela conservação da água e do meio ambiente a Timirim também possui parceiros que investem em tecnologias inovadoras, como a estamparia digital, que reduz significativamente o consumo de água em comparação com métodos tradicionais de tingimento. Isso não só permite criar peças vibrantes e de alta qualidade, mas também nos ajuda a preservar um recurso tão precioso como a água.

O consumo de água na estamparia de tecidos pode variar significativamente dependendo do método utilizado. Aqui estão algumas comparações aproximadas entre a estamparia convencional e a estamparia digital em termos de consumo de água:

Na estamparia convencional, o processo utilizado para haja a transferência da estampa para o tecido geralmente envolve o uso de técnicas como impressão em tela (screen printing ou silk sreen) ou rotogravura. Este processo muitas vezes requer o uso de grandes quantidades de água para preparar as telas, ou cilindros, limpar equipamentos e remover resíduos de tinta. Além disso, os métodos convencionais de tingimento e fixação de corantes também podem exigir considerável quantidade de água.

Já na estamparia digital, é utilizado um processo mais eficiente em termos de água, a tecnologia permite a aplicação precisa de corantes diretamente no tecido, o que resulta em menos desperdício de “tinta” e, consequentemente, menos água utilizada na limpeza de equipamentos.

Em termos de consumo de água para 1 kg de tecido estampado, embora as estimativas específicas possam variar dependendo de vários fatores, como o tipo de tecido, a complexidade do design e os processos de acabamento adicionais. No entanto, em geral, a estamparia digital tende a consumir menos água em comparação com métodos convencionais de estamparia de tecidos. Estudos sugerem que a estamparia digital pode reduzir o consumo de água em até 90% em comparação com métodos tradicionais.

E a preocupação da Timirim com a preservação da água e a sustentabilidade não termina na produção das roupas. A marca oferece orientações aos clientes sobre como cuidar e conservar suas peças de forma a prolongar sua vida útil. Como, incentivar práticas de secagem ao ar livre sempre que possível. Pequenas ações como essas podem fazer uma grande diferença quando se trata de preservar recursos naturais como a água.

Além disso, falando não só em preservação ambiental, a Timirim tem a preocupação também com a rastreabilidade da cadeia de fornecimento, garantindo que produtos sejam fabricados de forma ética e sustentável em todas as etapas do processo.

Conclusão: Contribuindo para um Futuro Sustentável

 

Como pais ou avós, sabemos que vocês se preocupam com o futuro do nosso planeta e o legado que deixaremos para as gerações futuras. Ao escolherem marcas que valorizam a sustentabilidade e a preservação da água, vocês estão contribuindo para um futuro melhor e mais consciente para seus filhos, netos e para todos nós.

Agradeço a Timirim pela oportunidade de falar de suas iniciativas, neste dia tão importante, por fazerem parte dessa jornada conosco e por apoiarem nossos esforços em direção a um futuro mais sustentável.

 

Flavia Ippolito
Engenheira Têxtil, Pesquisadora e Empreendedora

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *