Movimento slow

Na timirim buscamos desacelerar o ritmo com o propósito de viver de forma mais harmoniosa com nosso planeta, nossas famílias, amigos e conosco mesmo. Procuramos re-criar conexões com as pessoas, comida e lugares, onde vivemos. Uma filosofia de vida que vai até o consumo.

Os avanços da tecnologia, as melhorias de transporte e a globalização das economias trouxeram muitos benefícios para o consumidor, pois nunca foi tão fácil adquirir uma variedad quase infinita de produtos e os preços nunca foram tão acessíveis. A sociedade também nos leva a consumir sempre mais, sempre mais rápido. Porém, em muitos casos o custo real do aumento exponencial da produtividade não foi contemplado, o custo para o planeta, o custo para a sociedade.       

Buy less,
Choose well,
Make it last.

Vivienne Westwood

Estilista Britânica

Consumir é fazer escolhas.

Slow Fashion

Vista a mudança que você quer ver no mundo.

A indústria têxtil ha sufrido profundas mudanças nas últimas décadas. Muitos dos consumidores de hoje têm crescido acostumados a encontrar marcas de roupa a preços baixos e com uma rotatividade alta de estilos. Por ter preços baixos e pouca qualidade, as marcas seguindo esse modelo de negócio foram comparadas a cadeias de comida rápida ou fast fashion. A pressão para aumentar continuamente a produção sem aumentar os custos muitas vezes se traduz por terríveis condições de trabalho. Além disso, essa moda “descartável” produzida em massa tem consequências dramáticas para o meio ambiente.

O movimento Slow Fashion propõe um caminho alternativo, procurando impactar de forma positiva a sociedade e o meio ambiente através da moda. Privilegiar itens produzidos localmente, recicláveis, bem como peças de qualidade,com materiais naturais, sustentáveis, eticamente feitas que duram mais. As roupas são feitas com respeito pelos trabalhadores que as fabricaram, incluindo salários justos, condições de trabalho humanas, preservação de antigas técnicas artesanais e até mesmo programas comunitários que beneficiam famílias e comunidades.

Na timirim acreditamos em uma moda mais virtuosa. Reconhecemos o impacto das nossas acções e escolhas sobre o ambiente e outras pessoas. Diminuímos a taxa de produção e, portanto, nosso uso de materiais naturais da terra, respeitando ritmos naturais de regeneração. Não esquecemos da história atrás das peças, re-construímos a relação entre os produtores e os consumidores. Focamos na qualidade e na beleza e não em tendências de passagem, para garantir a longevidade das roupas.

E o principal, amamos o que fazemos e aspirarmos a fazer a diferença no mundo através da nossa criatividade.

Economia circular

A ideia atrás do conceito de economia circular é pensar o uso dos recursos naturais e não impactar o meio ambiente considerando o ciclo de vida dos produtos com um círculo infinito, ou pelo menos o mais longo possível. Reduzir os resíduos, e reusar os materiais, permite resolver parte do problema da poluição e da exploração dos recursos.

 

A indústria têxtil é a segunda indústria mais poluente no mundo, depois da indústria do petróleo (fonte). A questão dos resíduos é fundamental : apenas nos Estados Unidos, têm mais de 15 milhões toneladas de lixo têxtil jogado por ano. Sempre vai ter resíduos e temos que desenvolver soluções de reuso. Precisamos pensar cada etapa do ciclo do produto, do desenho até a venda. A qualidade das roupas da timirim prolonga a vida útil dos produtos e promovemos a doação e o reuso das peças para o máximo de crianças.

A timirim escolhe trabalhar com produto 100% de algodão porque além da qualidade, fibras naturais não misturadas sao recicláveis indefinidamente e sao biodegradáveis. Os tecidos misturados não sao recicláveis, e cada peça de fibras sintéticas liberta 1900 micro-partículas de plásticos a cada lava-roupa (fonte). Essas partículas participam da poluição prolongada dos litorais e oceanos.

“Nós compramos demais roupa, e nós pagamos pouco demais para elas ”: recomendamos assistir o documentário The true cost sobre o custo real da moda “fast fashion” para a sociedade e o planeta.  

Cadastra-se para saber primeiro

Bemvindo/a na nossa comunidade